As pesquisas da Surfshark mostram que 62 dos 185 países analisados bloquearam ou restringiram fortemente o acesso às redes sociais nos últimos cinco anos. Seis países - China, Coreia do Norte, Irão, Turquemenistão, Emirados Árabes Unidos e Qatar - têm bloqueios contínuos em redes sociais ou aplicações de comunicação, como Skype, WhatsApp, Telegram e Viber.

No entanto, na maioria dos países, as proibições não são generalizadas, tendem a acontecer esporadicamente e são difíceis de medir com precisão, pois pode haver falta de evidências ou diferenças nos dados oficiais e relatados pelos utilizadores.

Surfshark

O estudo também concluiu que mais de metade dos países asiáticos têm limitado o acesso às redes sociais, sendo que cortar o acesso às redes sociais é uma prática comum em países africanos, especialmente durante eleições, protestos ou manifestações. Na maioria dos casos de bloqueio de redes sociais, os governos justificam a necessidade das restrições devido a questões de segurança ou para impedir a disseminação de informações falsas ou conteúdo impróprio. No entanto, as redes sociais são muitas vezes bloqueadas para impedir a divulgação de informações e cortar os meios de comunicação durante protestos e manifestações.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.