Ninguém que visite este cantinho do mundo consegue ficar indiferente à sua beleza. Não é por acaso que a UNESCO reconheceu a Ilha do Príncipe como Reserva Mundial da Biosfera. Com pouco mais de 140 quilómetros quadrados, só esta ilha alberga mais de 40 espécies endémicas, ou seja, espécies que só existem no Príncipe — São as Galápagos de África!

As duas ilhas vulcânicas de São Tomé e Príncipe nunca fizeram parte do continente e não eram habitadas quando os portugueses aqui chegaram. A colonização estabeleceu roças e plantações de café e cacau. A vida no arquipélago passou então a girar em volta destas atividades.

Depois de 1974 as plantações decaíram, foram abandonadas e lentamente transformaram-se em aldeias, ocupadas principalmente por pessoas que sobreviviam à custa da agricultura de subsistência.

são tomé e príncipe
créditos: The Travellight World

Hoje algumas dessas roças estão a ser convertidas em alojamentos locais e hotéis que pretendem atrair o turista que valoriza a sustentabilidade, tem consciência ecológica e está mais interessado em interagir com a população local e conhecer a beleza natural das ilhas, do que em passar o dia todo deitado na areia da praia.
Os hóspedes são incentivados a ajudar em projetos solidários ou de conservação, como o Programa Tatô, que presta apoio na conservação das tartarugas e dos ecosistemas marinhos. A ideia é criar emprego e contribuir para a comunidade sem destruir aquilo que de melhor existe nas Ilhas — a sua natureza e cultura;

Atividades ligadas ao mar como o mergulho, observação de golfinhos e baleias jubarte e ainda a nidificação de tartarugas contam-se entre as principais atrações, mas é também possível participar em workshops de dança tradicional, visitar uma fábrica de chocolate, fazer um workshop de medicina tradicional ou conhecer o Tchiloli — uma forma de teatro, com origem em Portugal que ainda persiste na ilha de São Tomé. É uma tradição secular onde histórias sobre traição e amor, são encenadas com música e dança.

são tomé e príncipe
créditos: J-Ellie/Wikimedia Commons

Fazer a Rota Sul, que percorre as melhores praias da ilha ou a Rota Norte/Centro que visita a cascata de São Nicolau e algumas roças como a famosa Roça Agostinho Neto, é uma das melhores maneiras de conhecer a Ilha de São Tomé.
Na capital destacam-se atrações como o Palácio Presidencial (antigo Palácio do Governo de Portugal), o Museu Nacional, a igreja de Nossa Senhora da Conceição e a Sé. Uma visita ao mercado antigo é igualmente interessante e pode ser bem animado!

Ir a pé do Bom Sucesso até à Lagoa Amélia e descobrir o Parque Natural Ôbo, onde fica o extraordinário Pico Cão Grande também vale a pena. O parque é conhecido internacionalmente pela sua biodiversidade pois integra áreas de floresta, montanha, mangues e savana.

são tomé e príncipe
créditos: The Travellight World

O Ilhéu das Rolas é outra das pérolas do arquipélago. Com paisagens deslumbrantes, praias de sonho e um dos mais belos marcadores equatoriais do Mundo — O Padrão do Equador — é uma visita obrigatória.
O pequeno monumento foi erigido em 1936, a partir dos trabalhos geodésicos e astronómicos realizados por Gago Coutinho entre 1916 e 1918, em São Tomé, e apesar de hoje estar um pouco ao abandono, ainda mantém a sua beleza.

são tomé e príncipe
créditos: The Travellight World

A ilha do Príncipe é abençoada com praias paradisíacas e vegetação exuberante e o Ilhéu Bom Bom,  que integra um resort de luxo, é perfeito para relaxar, fazer caminhadas pela floresta, observar aves, anfíbios, repteis, plantas e outras espécies endémicas da ilha. Também é um lugar privilegiado para praticar mergulho, snorkel ou pescar.
De dezembro a março, ocorre na Praia Grande a nidificação de tartarugas-verdes e de julho a setembro, pode observar-se as baleias que atravessam as águas do ilhéu Bom Bom para chegar às suas áreas de acasalamento.

são tomé e príncipe
créditos: The Travellight World

Ainda no Príncipe, vale a pena visitar a sua capital Santo António e Ribeira Izé, o primeiro assentamento da ilha, onde se encontram as ruínas de um centenário porto, construído pelos portugueses.

Os sabores de São Tomé e Príncipe também são algo que fica na memória de quem visita o país. Alguns são mais familiares como o calulu ou a mandioca, outros são bem diferentes como a fruta-pão, a banana-maçã ou o micocó (que tem fama de ser afrodisíaco).

são tomé e príncipe
créditos: The Travellight World

São Tomé e Príncipe o país do “leve-leve”, é um paraíso de ritmos calmos, sabores exóticos, fragrâncias sensuais, praias de sonho e enseadas desertas, mas melhor do que isso é um destino que aposta no turismo sustentável e responsável, onde a fauna, a flora e o património cultural são as principais atrações, ajudando a conservar o meio ambiente e a melhorar o bem-estar da população local.

Do que está à espera para ir conhecer? Aproveite os voos para São Tomé e marque as próximas férias.