Teresa Mineiro fez, este ano, uma viagem de dois meses que a levou até à Índia. Com formação académica em Design de Moda e o interesse e preocupação sobre o estado dessa mesma indústria a um nível global, Teresa quis descobrir mais sobre esse tema, tendo como foco o país que iria visitar, tendo encontrado marcas de roupa indianas que marcam a diferença social e ecológica.

Visto a viagem ter durado dois meses, Teresa não poderia levar todo o guarda-roupa, então decidiu tentar fazer parcerias (trocar roupa por fotos) com marcas de roupa sustentáveis. Dessa forma, conseguiria fotos em sítios incríveis sem repetir outfits.

"Escolhi as marcas com que mais me identifiquei e comecei a enviar e-mails", explica Teresa. As fotos do blog e da conta de Instagram foram a base para convencer as marcas e a jovem portuguesa foi bem sucedida: quando chegou a Mumbai, tinha o quarto do hotel coberto de pacotes feitos em tecido de algodão, vindos de todos os cantos do país, com dezenas de roupas. Durante a viagem teve oportunidade de trocar ideias com alguns dos designers, a fim de perceber melhor qual é o estado em que se encontram os negócios de moda sustentável na Índia.

A Índia, tal como Portugal, vê crescer marcas que baseiam todo o seu processo na sustentabilidade a nível de materiais e modos de produção e promovem a transparência dos seus negócios, para que todos os envolvidos no processo tenham o seu devido reconhecimento e pagamento. Por ser tão grande e ainda bastante tradicional, a Índia é um país onde ainda é possível encontrar-se e dar valor a artesãos e a comunidades que vivem da produção sustentável de matérias e materiais. "Em Portugal, isso é bem mais complicado, pois este género de trabalho está praticamente extinto (desde a fiação, até à tecelagem com métodos manuais, passando por técnicas de bordado e rendas)", expõe Teresa.

Teresa viajou do Egito para Índia e esvaziou uma das malas - enviando as peças de volta para Portugal - para conseguir ter espaço para andar com as roupas emprestadas de um lado para o outro. De Mumbai, onde as encomendas a aguardavam, viajou para Jaipur. "A cidade rosa, um sítio maravilhoso cheio de edifícios históricos. Foi um ótimo começo porque nos deu confiança, as fotos começaram logo a sair bem, mas penso que a escolha das roupas também ajudou. Os tecidos moviam-se maravilhosamente", contou Teresa.

A portuguesa foi de cidade em cidade, planeando os outfits um pouco de acordo com o que sabia que ia visitar. Nem sempre as condições eram as melhores, com o sol intenso, a sede e o suor a não ajudarem, mas no final o resultado valeu todo o esforço. "Na Índia, todas as pessoas ocidentais são como aves-raras e, por isso, há um non-stop de indianos a pedirem selfies", conta. Em Agra, houve um segurança que teve de intervir, porque Teresa estava a ser "engolida" por uma multidão a querer tirar fotos com ela. "Senti-me uma pequena celebridade. As pessoas ficavam a ver-me pousar e esperavam que eu fizesse uma pausa para pedirem para tirar selfies. Foi, sem dúvida, uma das maiores aventuras da minha vida!"

"Consegui aliar o meu gosto por roupa, fotografia e viagens a uma causa que me diz muito"

O balanço da viagem não poderia ter sido mais positivo. Neste momento, Teresa está a fotografar algumas marcas portuguesas sustentáveis  e foi contactada por outras marcas indianas e há interesse de algumas marcas em voltar a colaborar com ela. No fim de setembro Teresa vai ao sul de Itália, onde  deseja fazer o mesmo tipo de parceria. Para além disso, a Birkenstock Portugal começou a utilizar as fotos para publicidade e tem apoiado e incentivado Teresa a continuar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.