Ao observar a imagem de satélite de uma região a cerca de 25 quilómetros de Kadri, no estado indiano de Andhra Pradesh, é possível observar o que parece ser uma floresta. Conhecida como Thimmamma Marrimanu, esta floresta não é uma floresta comum, mas uma árvore singular, a maior árvore do mundo, com uma circunferência de 846 metros e cobrindo uma área de 19.107 metros quadrados.

A planta pertence às figueiras de Bengala, que se reproduzem de uma forma pouco convencional, já que crescem de cima para baixo. As sementes nos galhos das árvores germinam, criando uma "raiz aérea" que se transforma numa espécie de tronco que cresce até ao chão, expandindo o alcance da árvore. Essas 1100 raízes de sustentação são o que fazem a árvore singular parecer uma floresta inteira.

Segundo a mitologia local, Thimmamma Marrimanu nasceu em 1434, quando uma viúva indiana chamada Thimmamma cometeu sati - uma prática hindu onde uma mulher se imola na pira do marido morto. Segundo a mitologia local, o seu sacrifício deu vida ao maciço Thimmamma Marrimanu, que supostamente brotou da pira.

A colossal árvore com mais de 550 anos contém um pequeno templo na base e é local de culto da comunidade local. Muitos acreditam que a árvore tem poderes místicos e é capaz de abençoar casais sem filhos com o dom da fertilidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.