No primeiro Relatório Digital Life Abroad, a InterNations, a maior comunidade de expatriados do mundo, identificou os melhores e piores países para viver uma vida digital. Os resultados, baseados na pesquisa anual Expat Insider, revelam que a Estónia, Finlândia, Noruega, Dinamarca e Nova Zelândia são excelentes a oferecer um ambiente digital. Os expatriados nesses países estão muito satisfeitos com o acesso irrestrito aos serviços online e com a possibilidade de pagar sem dinheiro em praticamente qualquer lugar.

A maioria dos países europeus está na primeira metade do ranking de vida digital - a Itália ocupa o 57º lugar e a Alemanha  lugar 53, sendo os piores países da Europa a nível digital.

No outro extremo da lista, Myanmar, China, Egito, Índia e Filipinas são considerados os piores países a nível digital. Os expatriados nesses países lutam com a falta de serviços governamentais online, acesso difícil à Internet de alta velocidade em casa ou até mesmo restrições ao uso de serviços online.

Para identificar os melhores e piores países a nível digital, foi pedido aos entrevistados que classificassem a sua satisfação com os seguintes fatores, numa escala de 1 a 7: acesso irrestrito à aos conteúdos online, disponibilidade de serviços governamentais e administrativos online; facilidade de acesso para obter um número de telemóvel local; a facilidade de pagar sem dinheiro e a facilidade de obter acesso à Internet de alta velocidade em casa.

Para que um país fosse incluído na pesquisa Expat Insider 2018 e, subsequentemente, no Relatório Digital Life Abroad, era necessário um tamanho de amostra de pelo menos 75 participantes  por destino. Em 2018, 68 países atenderam a essa exigência, com um total de 18.135 expatriados a participarem na pesquisa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.