O Moulin Rouge, cabaret francês famoso pelas festas, é ponto de passagem obrigatório de todos os turistas que visitam a capital francesa. O espaço abriu portas ao público em 1889. Agora, 130 anos depois, faz parte da história da cidade e até já foi adaptado ao cinema, num filme de 2001, protagonizado por Nicole Kidman e Ewan McGregor.

O primeiro edifício eletrificado de Paris

Construído em 1885, o Moulin Rouge deslumbrou o povo de Paris como o primeiro prédio eletrificado da capital francesa. Foi desenhado por Adolphe Léon Willette, cujas ideias para uma fachada elétrica colorida se tornariam um verdadeiro emblema de Paris para sempre. Como o espetáculo-concerto começava às 22 horas, o cabaret iluminava a Place Blanche numa explosão de cores nunca antes vista.

O edifício original foi destruído por um incêndio em 1915

A 27 de fevereiro de 1915, um incêndio causado, provavelmente, por  um curto-circuito, atingiu todo o edifício em questão de minutos, e destruiu completamente o auditório e o salão de baile. Apenas a fachada e uma parte do palco ficaram de pé e o cabaret ficou fechado durante seis anos e só foi reconstruído em 1921, após terminada a Primeira Guerra Mundial.

O passado simbólico do icónico moinho de vento

O moinho de vento recorda o passado de Montmarte, quando era apenas uma pequena vila cheia de moinhos de vento. Existiam cerca de de 15 moinhos de vento, usados para moer trigo, prensar uvas e materiais para fábricas. Atualmente, existem dois moinhos de vento restantes: o Radet e o Blute-Fin.

Moulin Rouge
créditos: AFP

Não dançam, no Moulin Rouge, apenas mulheres

A imagem icónica da dançarina do Moulin Rouge é a uma mulher esbelta e graciosa a levantar as pernas pernas o mais alto possível de forma ritmada. Mas o que muitas pessoas não sabem é que o Moulin Rouge também tem dançarinos homens.

 O escândalo do cancan

Este espetáculo de dança agora inspirador já foi considerado escandaloso. Isso ocorreu, em grande parte, devido ao facto de as mulheres, ao levantar a perna durante a dança, correrem o risco de revelar demais, propagando medos sobre a prostituição.

O alto pontapé da dança não era apenas para espetáculo 

O impressionante levantamento de perna não era apenas um espetáculo de incrível flexibilidade. Às vezes, era exibido como forma de aviso para homens que não se sabiam comportar, ameaçando um pontapé na cara se persistissem. Outras vezes, o pontapé alto era usado para ganhar uma aposta em que a mulher promete remover o chapéu de um homem sem usar as mãos.

Não recebeu apenas dançarinos famosos

O Moulin Rouge é mais conhecido pela dança explosiva cheia de energia, mas há uma série de cantores famosos como a lenda americana Frank Sinatra e a cantora francesa Édith Piaf.

Visita real

Embora o Moulin Rouge tenha passado por vários escândalos, isso nunca impediu o sangue real de visitá-lo. A 26 de outubro de 1890, o príncipe de Gales, o futuro Eduardo VII, reservou uma mesa para se maravilhar com a famosa equipa de dança. Uma história engraçada é que La Goulue (nome artístico da dançarina Louise Weber), reconheceu-o e gritou: "Ei, Príncipe de Gales, o champanhe é por sua conta!"

Lantejoulas e plumas

Se assistir ao espetáculo, ficará impressionado com a enorme quantidade de plumas existentes - o Moulin Rouge é dono de uma companhia de plumas, instalada no prédio do teatro para atender às necessidades dos exigentes figurinistas.

O recorde de movimentos de dança

O Guinness Book of Records afirmou que os dançarinos do Moulin Rouge podiam levantar as pernas 29 vezes no espaço de 30 segundos durante a celebração de 125 anos do cabaré, realizada em 2014. Não satisfeito com o recorde, um dançarino levantou a perna acima da cabeça 30 vezes em 30 segundos, quebrando os recordes mundiais já épicos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.