As ruas normalmente movimentadas das cidades chinesas ficaram surpreendentemente vazias devido ao medo de infecção por coronavírus e, em alguns casos, por ordem do governo. É essa situação que Nicole Chan, conhecida por Nicoco, mostra através da sua série "One Person City", onde documenta como a cidade mais populosa de China ficou estranhamente deserta.

Nicoco nasceu em Chicago, mas viveu em Xangai durante seis anos e conhecia bem a vida agitada da cidade. A fotógrafa visitou a cidade depois de Wuhan ter sido colocada em quarentena, o que coincidiu com a celebração oficial do Ano Novo Chinês.

"O vírus roubou ao povo chinês a época mais feliz do ano. Era para ser um momento de grandes reuniões familiares e indulgência. Em vez disso, as pessoas estavam com medo de adoecer", explicou a fotógrafa. O objetivo da série fotográfica "One Person City" é capturar como esse medo se parece e no que transformou a cidade.

"O meu objetivo para esta série foi capturar a sensação de vazio apocalíptico"

Embora Xangai não esteja em quarentena oficial, a maioria das lojas e restaurantes fecharam e as escolas só reabrem no início de março. Os transportes públicos e destinos turísticos populares estavam "visivelmente vazios". As fotos foram tiradas entre domingo, 26 de dezembro e terça-feira, 4 de fevereiro, em cinco excursões diferentes.

Podem acompanhar o trabalho da fotógrafa através do seu site e Instagram.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.