A construção da mais nova linha de metro de Roma não é apenas uma benção para os viajantes - é também o sonho de qualquer arqueólogo. Foram encontrados diversos artefactos antigos, tais como mosaicos, ânforas de cerâmica, bem como, ruínas de um edifício do século III, instalações militares de dois mil anos atrás, usadas pelo exército do imperador Adriano, e a casa de um comandante.

Os viajantes que embarquem em San Giovanni vão ter a oportunidade de conhecer o passado da região do que hoje é o bairro Appio Latino. É uma seleção de 40 mil artefactos descobertos durante a construção da linha, que tentam mostrar a história do lugar deste o período Pleistoceno até a queda do Império Romano do Ocidente em 476.

"É uma espécie de máquina do tempo: quanto mais longe vai na estação, mais volta atrás na história de Roma", diz ao Squires Francesco Prosperetti, superintendente do departamento arqueológico da cidade.

Durante o auge do Império Romano, a estação abrigou uma rica zona agrícola que produzia frutas, legumes e flores para os proeminentes habitantes da cidade. Este passado de luxo é evidente na "estação-museu" subterrânea.

A próxima estação programada para abrir é Amba Aradam, um local perto do Coliseu que produziu descobertas arqueológicas significativas. Em 2016, os investigadores que escavavam o local descobriram um complexo de 39 quartos. De acordo com o The Independent, o espaço provavelmente servia como quartel militar para a Guarda Pretoriana do imperador Adriano e revelava artefactos que iam de ossos humanos a pisos de mosaico e moedas de bronze.

Os líderes da cidade comprometeram-se a preservar o quartel, propondo a criação da primeira “estação arqueológica” de Roma e alteraram os projetos para integrar as ruínas na estação moderna. Em março deste ano, os arqueólogos descobriram outra construção antiga: o domus, ou casa, do comandante militar dos quartéis.

Simona Morretta, a arqueóloga que supervisiona escavações em Amba Aradam, conta ao New York Times, que a casa inclui 14 quartos separados, um pátio central e uma fonte.

Tudo que for encontrado no local será exibido, transformando a estação "num pequeno museu, com todos os quartéis exatamente na mesma posição", avançou a arqueóloga.

A estação de Amba Aradam deve ser inaugurada em 2021, mas com as escavações ainda em andamento, há sempre a possibilidade de se contrapor a outra estrutura antiga. Por enquanto, os visitantes de Roma terão que se manter ocupados com a variedade de artefactos antigos de San Giovanni.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.