A proposta de assento foi anunciada no evento "Aircraft Interiors Expo", em Hamburgo, na Alemanha, e consiste num assento vertical confortável, inspirado na equitação. A empresa garante que um cavaleiro consegue aguentar horas naquela posição sem desconforto, pelo que o mesmo se aplicará aos passageiros do avião.

Esta opção faz com que a capacidade do avião aumente em 20% e o peso é reduzido em cerca de 50%, o que seria uma vantagem para as companhias aéreas, uma vez que seria possível viajarem mais pessoas em cada voo, e, sendo mais leves, haveria poupança no combustível. O assento é ajustável, de forma a que quando um passageiro estiver farto de estar sentado pode ajustar o banco de forma rápida e prática e continuar confortavelmente a sua viagem.

Apesar dos benefícios apresentados pela empresa, o primeiro projeto foi reprovado, em 2010, pela Administração Federal de Aviação norte-americana. No entanto, a empresa justifica que esta é uma versão inovadora e melhorada, que não só traz benefícios para os passageiros, como também para as companhias aéreas.

11 das mais estranhas patentes registadas para aviões
11 das mais estranhas patentes registadas para aviões
Ver artigo

Especialistas apontaram obstáculos à implementação dos assentos, como atrasos na retirada dos passageiros ou falta de espaço para guardar objetos pessoais debaixo dos assentos.

No passado, já duas empresas tinham mostrado interesse nesta ideia. A VivaColombia e a Ryanair já haviam colocado a possibilidade de colocar este tipo de equipamento nos seus aviões.

De acordo com o "Daily Mail", a Ryanair realizou um estudo onde concluiu que 42% dos passageiros usaria este tipo de equipamento, se o bilhete de avião custasse metade do preço normal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.