De acordo com o New York Daily News, Nicholas Williams, 25 anos, foi preso às 11h30, hora local, no passado domingo, no Sea-Tac. No aeroporto, uma testemunha disse ao KIRO-7 que a polícia aproximou-se de Williams e o algemou perto do portão de embarque. Segundo os investigadores, Williams admitiu que colocou a câmara na casa-de-banho, pelo menos, quatro ou cinco vezes antes de ser apanhado. A função de Williams na companhia aérea ainda não foi identificada, mas a Southwest está a cooperar totalmente com as autoridades.

“Trabalhamos com as autoridades apropriadas enquanto investigam uma acusação que envolve um dos nossos funcionários em Seattle. Nós não temos detalhes adicionais para fornecer ”, disse um representante da Southwest num comunicado.

Além do seu trabalho na companhia aérea, Williams supostamente também é voluntário na Ferrovia e Museu Chehalis Centralia, embora não esteja claro se, depois das acusações, vai continuar a fazer o trabalho voluntário.

De acordo com o KIRO-7, Williams foi registado na prisão de King County e compareceu no tribunal na segunda-feira à tarde. O juiz determinou a fiança do funcionário da companhia aérea em  90 mil dólares. Mesmo que pague fiança, não poderá ter contacto com crianças.

Além disso, Williams poderá enfrentar uma longa sentença de prisão. De acordo com o Meryhew Law Group, o voyeurismo é uma ofensa criminosa no estado de Washington. Se alguém for condenado por esse delito, “fica registado como agressor sexual por um período mínimo de 10 anos e enfrenta a possibilidade de uma longa sentença de prisão”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.