Num esforço da cidade para reduzir a micção pública, foram instalados vários urinóis, em vários pontos da capital francesa. A medida, no entanto, não foi bem aceite pelos habitantes e provocou uma onda de indignação, já que os parisienses consideram que os urinóis incitam o exibicionismo, são sexistas e estragam a paisagem.

"Acho que instalar urinóis nas ruas de Paris, para aqueles que não respeitam o ambiente, é uma boa ideia, mas na minha opinião, esse modelo não é o melhor, e os locais onde foram instalados não são apropriados", disse um habitante à CNN.

Os uritrottoirs - como são chamados - parecem caixas de flores, e esse é o objetivo. Eles têm um propósito ambiental - a compostagem. Uma camada de palha na caixa reduz o odor, e essa mistura pode ser usada para fertilizar plantas com "nitrogênio e fosfato naturais", diz um comunicado da cidade.

Já existiam três, desde março, em vários pontos da cidade. Um quarto foi adicionado, no mês passado, em Île Saint-Louis, perto da Catedral de Notre Dame, com vista para o rio Sena, onde barcos de turistas passam diariamente. Mais um está previsto para a Rue Bossuet, mas tendo em conta o descontentamento dos parisienses, não se sabe se irá avançar.

Os habitantes explicam que a instalação dos urinóis acarreta vários problemas. "Não há necessidade de colocar algo tão imodesto e feio num local histórico", disse Paola Pellizzari, 68 anos ao The Guardian. Além disso, ela teme que o urinol, instalado a cerca de 20 metros de uma escola primária, “incite o exibicionismo”.

"É horrível", disse o proprietário de uma galeria de arte próxima. “Dizem que temos de aceitar isso, mas é absolutamente inaceitável. Está a destruir o legado. As pessoas não podem comportar-se?"

Alguns descrevem os urinóis como sendo discriminatórios.

"Foram instalados numa proposta sexista: os homens não se podem controlar [do ponto de vista da bexiga] e, por isso, toda a sociedade precisa adaptar-se", disse Gwendoline Coipeault, do grupo feminista francês Femmes Solidaires. "É um absurdo, ninguém precisa urinar na rua."

Ariel Weil, o prefeito local, no entanto, diz que os dispositivos são necessários. "Se não fizermos nada, os homens vão continuar a urinar nas ruas", disse Weil. “Se realmente incomodar as pessoas, encontraremos outros locais".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.