Decido à pandemia do covid-19, as Endoenças – conhecidas como um evento secular de turismo religioso, que, todos os anos, na véspera da sexta-feira santa, ilumina as margens dos rios Tâmega e Douro com milhares de tigelinhas – não se realizou, uma vez que é, nesta altura, impossível reunir milhares de pessoas.

No entanto, apesar de não se realizar nos moldes habituais, a autarquia e a Junta de Freguesia de Eja decidiram assinalar a data com cerca de 3.000 velas, acesas durante alguns minutos, no cais de entre-os-rios, para enviar uma mensagem de fé, esperança e união. As velas foram dispostas de forma a exibir uma cruz, as silhueta de Jesus Cristo e de Maria, e ainda a frase “Juntos vamos vencer”.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Antonino de Sousa, "as Endoenças são mais do que uma tradição secular, são um momento único de união, de fé e de esperança, no fundo, tudo aquilo, que todos nós, além de saúde, mais desejamos neste momento", explica  em comunicado publicado no site da autarquia.

"O COVID 19, mudou, temporariamente, as nossas vidas, mas não vai alterar as nossas crenças mais profundas como comunidade. O ser humano tem uma capacidade especial de encontrar respostas e soluções de forma criativa em momentos difíceis e foi isso que fizemos, ao criar uma alternativa que mesmo sendo simbólica, tem o mérito de manter viva a tradição desta vertente das Endoenças", acrescenta.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.