Coco tinha viajado no porão, durante a viagem do Japão para os EUA três anos antes. No entanto, Takako temia que estivesse velha demais para fazê-lo novamente. Assim, registou Coco como um animal de assistência emocional e pagou € 90,21 para permitir que a adorável Coco viajasse consigo, em classe executiva.

Quando a equipa informou Takako que não haveria ninguém sentado ao seu lado na classe executiva, ela decidiu deixar Coco aproveitar a viagem da melhor forma.

Coco rapidamente conquistou a equipa e acabou a comer croissants, amêndoas e nozes  durante o longo voo. Apesar das muitas horas de voo, Coco comportou-se muito bem, ficando calma e explorando o seu espaço, não saindo do local.  As imagens publicadas nas redes sociais tornaram-se virais, surpreendendo Takako.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.