Com a chegada do verão e tendo em conta as consequências que o coronavírus terá no turismo, uma empresa italiana propôs criar e instalar cubículos transparentes, dentro dos quais as pessoas poderão ficar, para que a ida à praia seja segura.

A empresa por trás do projeto, a Nuova Neon Group 2, divulgou esboços preliminares onde mostra como seriam as estruturas em forma de caixa quando instaladas. Embora o foco principal da empresa tenha sido a criação de barreiras de acrílico para farmácias em todo o país, a "segunda fase" pretende usá-las na praia.

Nuova Neon Group 2
Nuova Neon Group 2

Os projetos mostram que os cubículos medem 4,5 metros por 4,5 metros e as paredes transparentes de acrílico têm dois metros de altura. O objetivo é manter o distanciamento social para evitar o contágio quando as medidas de confinamento terminarem. A empresa, que fez a proposta para uma série de investidores, é especialista em acrílico, um material transparente usado para fazer divisórias e compartimentos transparentes.

No entanto, as criticas não se fizeram esperar, com várias pessoas a criticar a proposta, alegando que era "irrealista". Mauro Vanni, presidente da cooperativa de salva-vidas de Rimini, disse que as pessoas "morreriam de desidratação" caso ficassem dentro do cubículo durante os dias mais quentes.

Fabrizio Licordari, presidente da Assobalneari, a associação de empresários de turismo, também concorda que os cubículos transparentes não são uma solução viável. "Quem se iria fechar dentro de uma caixa de plástico com 35 graus lá fora? A praia é a liberdade", afirmou ao Corriere della Sera.

Apesar disso, proprietário da empresa, Claudio Ferrari, afirmou já ter recebido solicitações dos principais resorts italianos, da Sardenha à Sicília, e até em Espanha.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.