Os burro são uma espécie em vias de extinção e, onde ainda há presença desses animais, o abuso que lhes é feito é preocupante. Ativistas têm denunciado lesões graves nos animais por transportarem pessoas, malas e pesos acima do que conseguem aguentar. Em Santorini, os burros são utilizados para transportar turistas e as suas malas, o que acaba por causar problemas sérios na coluna do animal e feridas abertas provocadas pelas selas.

É recomendado que os animais não carreguem mais do que 20% do seu próprio peso corporal, segundo um porta-voz da organização Help the Santorini Donkeys, ao Daily Mail. Acrescenta ainda que os burros são forçados a viajar longas distâncias sem pausas, água ou comida e a temperaturas muito altas, transportando pessoas que, em muitos casos, estão acima do peso, provocando lesões na coluna vertebral e ferimentos causados ​​por selas mal ajustadas.

O conselho da cidade anunciou em comunicado que reuniu os responsáveis pelos burros e associações de proteção animal para assegurar "respeito pelos direitos e bem-estar dos burros" que garantem o transporte de turistas do porto para a capital da ilha, Fira, até várias centenas de metros acima.

Esse acordo foi organizado depois dos defensores dos animais que se manifestavam, na sexta-feira, no porto, terem sido atacados por tropeiros ("condutores de burro"). As autoridades anunciaram que obtiveram um acordo sobre uma série de medidas para que os burros "permaneçam à sombra" durante os intervalos e estejam "melhor hidratados". Os tropeiros também se comprometeram a "limitar o tempo e o peso do fardo" dos animais e a excluir os donos abusivos.

De acordo com o conselho da cidade, os defensores dos animais disseram estar "satisfeitos com essas medidas, desde que sejam respeitadas".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.