A Austrália vai investir mais de 500 milhões de dólares australianos – o equivalente a cerca de 312 milhões de euros - na recuperação e proteção da Grande Barreira de Coral. O maior sistema de coral do mundo estende-se por 2400 quilómetros ao longo da costa Leste deste da Austrália e que está em risco de degradação acelerada por motivos ambientais.

O Parque Marítimo da Grande Barreira passará a receber 6,3 milhões de euros anuais adicionais para manter o trabalho essencial na área declarada Património da Humanidade. Segundo o ministro do Ambiente e da Energia da Austrália, Josh Frydenberg, trata-se de um amplo leque de novas iniciativas, levando em conta os conselhos dos especialistas, num trabalho feito em conjunto com a autoridade do Parque Marítimo da Grande Barreira de Coral de forma a garantir que o recife tem as melhores oportunidades de futuro.

A Grande Barreira acolhe 400 tipos de colar, 1.500 espécies de peixes e 4.000 variedades de moluscos e cria por ano cerca de 4.000 milhões de euros para as economias da Austrália e de Queensland. O maior recife de coral do mundo começou a deteriorar-se na década de 1990 pelo impacto do aquecimento da água do mar e pelo aumento da acidez devido à maior presença de dióxido de carbono na atmosfera. Um terço dos corais de superfície da Grande Barreira morreu em 2016, devido ao aumento das temperaturas.

Este apoio, oferece incentivos aos agricultores para a redução da contaminação gerada pela sua atividade e que confina com a área marítima onde se encontram os recifes.

A Grande Barreira de Corais da Austrália é uma das sete maravilhas do mundo, património mundial da humanidade, uma das maiores bioestruturas vivas do mundo. Com o seu mosaico de cores e vida marinha é também um dos principais alicerces turísticos do nordeste australiano.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.