O sucesso deste hotel parecia óbvio: fica no topo do Monte Kronio, um pico de 800 metros que abriga uma antiga basílica com o santuário de São Calero, um santo do século XVI. A montanha faz parte de uma reserva natural que tem vista incrível e está a uma curta caminhada de distancia de um famoso spa de águas termais. Tudo isso na bela ilha da Sicília.

A construção do hotel começou em 1954 e, depois de 30 anos de trabalho, o edifício de cinco andares foi concluído em 1984. No entanto, o hotel que foi financiado pela região da Sicília, com o objetivo de fomentar o turismo do sul siciliano, não tinha uma empresa para gerir o espaço.

Em 1993, a autoridade regional da Sicília assumiu novamente a responsabilidade pelo espaço. Após obras e restauro e o financiamento - por parte da autoridade regional - de uma cooperativa que iria gerir o hotel, preparou-se a inauguração do espaço. No entanto, foi detetado que a estrutura não tinha um sistema de drenagem adequado, sendo assim a inauguração adiada mais uma vez.

Após obras para a construção de um sistema de drenagem adequado, o hotel de luxo abriu as portas, porém acabou por fechar no mesmo momento, por razões que, segundo os meios de comunicação locais, não são claras.

No ano de 2000, houve mais uma tentativa de colocar o hotel em funcionamento. Uma nova cooperativa de investidores assumiu a administração do Grande Hotel San Calogero e planeou ligar o espaço ao sistema municipal de drenagem. Todavia, o conselho regional negligenciou a apresentação da documentação apropriada para o projeto, e o hotel ficou novamente ao abandono.

Apesar de todo investimento, apesar de todas as tentativas, ao longo de 64 anos, o Grande Hotel San Calogero ainda está vazio, sem saber se algum dia irá receber um hóspede.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.