Se ainda não sabe onde vai passar a Páscoa este ano, deixe-se envolver por qualquer um destes destinos onde, além das procissões e festividades, certamente poderá apreciar um bom folar, borrego ou até cabrito, sem se esquecer do ovo da Páscoa para o afilhado.

1. Minho
No Minho, uma das maiores tradições é o Compasso: um grupo liderado pelo pároco carrega um crucifixo e percorre as casas para as benzer, sendo recebido com um folar ou um cabrito. Em algumas freguesias de municípios como Ponte de Lima e Viana do Castelo, existe ainda a tradição do Jantar do Mordomo da Cruz – toda a freguesia se junta e elege um mordomo, cuja tarefa é transportar a cruz e oferecer o almoço a todos.

2. Braga
A tradição em Braga já dura há vários séculos e, se está a planear visitar esta cidade, esta é a altura ideal. Embora conte com inúmeras celebrações religiosas ao longo da Semana Santa, o ponto alto da semana é a Vigília Pascal e a Procissão da Ressurreição na noite de sábado para domingo, com início na Sé Catedral. Não perca a oportunidade de passear pela Rua do Souto, decorada com lençóis roxos e adornos alusivos à Paixão de Cristo, onde poderá assistir a diversas procissões. Uma visita à Sé Catedral, ao Tesouro-Museu da Sé e às Capelas Catedral e Coro Alto é também indispensável para tirar todo o partido do que Braga, e esta época, têm para lhe oferecer.

Procissão em Braga
créditos: Lusa

3. Óbidos
A Semana Santa de Óbidos evoca a Paixão e a morte de Cristo, impulsionando multidões que se juntam pela religião e pela cultura. A Quaresma inicia-se com a Procissão da Ordem Terceira, que conta com inúmeros andores decorados com as mais belas flores. O seu ponto alto é na sexta-feira Santa, com a Procissão do Enterro do Senhor, cuja iluminação apenas se assegura por archotes colocados estrategicamente ao longo do percurso. No domingo de Páscoa, a Procissão Eucarística, que junta representantes de diversas paróquias, dá como terminadas as cerimónias.

4. Montalegre
Considerada uma festa “à moda portuguesa”, a Semana Santa de Montalegre alia a tradição religiosa a momentos de sátira e humor. Recorrendo ao elemento fogo, que simboliza a luta do Homem contra as trevas, a Queima do Judas consiste na queima de um boneco de palha, expressando a luta contra o mal. Com missas e cortejos, esta é uma festa que junta a antiguidade com a atualidade nacional e é graças a esses mesmos motivos uma das Semanas Santas mais populares de Portugal.

5. Entre-os-Rios e Torrão
Mostrando-se como uma celebração mais recatada do que as anteriores, a Semana Santa de Entre-os-Rios e Torrão é ideal se procura algo diferente. Com cerca de três séculos de tradição, as margens dos rios Tâmega e Douro são enfeitadas com velas e, assim, iluminam totalmente a procissão que representa o percurso feito pelo Senhor dos Passos. Numa noite em que cânticos e orações oferecem um momento espiritual, a eletricidade da cidade é totalmente cortada e a iluminação é feita meramente com velas, oferendo assim uma atmosfera ainda mais mágica.

Estas sugestões são da momondo.