A vila recuperou este estatuto em 2009, está numa zona montanhosa da Serra da Peneda e é marcada por uma forte emigração.

O Soajo é das localidades desta região que manteve muita da sua cultura e teve uma forte preocupação com a preservação das casas e ruas de pedra e portados de madeira.

Soajo
Soajo na encosta da Serra créditos: Who Trips

Soajo
A maior parte das casas estão bem preservadas créditos: Who Trips

O turismo começa a ter relevo na economia local mas a agricultura e a criação de gado continuam a desempenhar um papel fundamental.
O isolamento e o modo de vida comunitária fizeram permanecer muitos traços culturais, usos, costumes, vestuário e rotinas de uma economia de subsistência.

Soajo
Residente no Soajo (muito simpática e fotogénica) créditos: Who Trips

Uma outra referência digna de nota é o facto de a quase totalidade dos habitantes com quem nos relacionámos terem se mostrado muito hospitaleiros. Gostam de receber bem, serem prestáveis e de conversar.

Soajo
Sempre a trabalharem créditos: Who Trips

Na rua ou no café, houve sempre oportunidade para nos apercebermos da vida nesta região, do papel da mulher, da emigração e do relacionamento, por vezes crítico, com as autoridades do Parque.

Soajo
Espigueiros créditos: Who Trips

As tradições de um mundo agro-pastoril são também preservadas e são exemplos os espigueiros na eira comunitária.

Estão sobre uma laje de granito e, dos 24 espigueiros, o mais antigo é de 1782.
Foram criados para guardar o milho e as aberturas visam deixar passar o vento para manter a qualidade das espigas no inverno.

Soajo
Espigueiros créditos: Who Trips

Os espigueiros têm uma cruz no topo para proteção divina, para não se estragarem os cereais.
Porque é um dos lugares muito procurados por visitantes, recomenda-se, em especial na época estival, que se visite de manhã cedo.

Soajo
Espigiueiros créditos: Who Trips

Assiste-se a um belo nascer do sol, pelo meio das montanhas, com os primeiros raios solares a incidirem nas pedras num "doce" tom amarelo.

Soajo
Espigueiros créditos: Who Trips

Alguns dos espigueiros ainda são usados e trata-se de uma eira comunitária, um dos traços desta comunidade em que, por exemplo, até aos finais do século XIX, o povo elegia o juíz.

Soajo
O pelourinho do Soajo créditos: Who Trips

Além dos espigueiros, merece atenção o pelourinho, porque representa uma lança, uma pedra e um pão. É um enigma para o qual há várias explicações.
Uma delas remete para uma ordem de D. Dinis aos fidalgos para não permanecerem muito tempo no Soajo, apenas o tempo para “esfriar um pão na ponta da lança”. Esta ordem teria sido dada depois de uma queixa dos locais de que estariam a ser maltratados pelos fidalgos que vinham aqui à caça.

Soajo
Soajo e vista para a serra créditos: Who Trips

A paisagem envolvente é muito bonita e, para se descobrir de verdade, tem de se caminhar. Como diz Rosa Rocha, uma “Soajeira”, há portugueses que pensam que de carro vão ver lobos e raposas, ou até uma corsa, que andem por aqui. Para isso têm de caminhar e se forem até ao rio Adrão conseguem ver “lagoas e quedas de água espectaculares”.

Soajo
Vaca de raça cachena créditos: Who Trips

Na estrada, o mais comum que pode encontrar são exemplares bovinos da raça cachena. Muitos destes animais andam à solta o que tem implicações na constituição física dos bovinos, mais musculados. Na região, a carne cachena faz parte da ementa tradicional.
Pão de milho, Papas de Sarrabulho, Rojoada e Cozido compõem outros pratos da gastronomia regional.

Soajo
créditos: Who Trips

O Soajo é calmo durante todo o ano. O mês mais agitado é em Agosto com o regresso dos emigrantes e turistas. Há alojamento local e restaurantes.
O Soajo fica a 20Km de Arcos de Valdevez, a sede de concelho.

Soajo
Ainda se conversa na rua créditos: Who Trips

O Soajo funciona como uma excelente plataforma para se visitar vários pontos desta zona do Parque. O Mosteiro de Ermelo, o alto da Serra da Peneda, a passagem pelo Rio Lima com a central eléctrica, Lindoso... são inúmeros os passeios.

No Soajo a esfriar um pão na ponta da lança faz parte do podcast semanal da Antena1 Vou Ali e Já Venho e pode ouvir aqui.
A emissão deste episódio, No Soajo a esfriar um pão na ponta da lança, pode ouvir aqui.