Os meus rapazes deliram por estas coisas, então aproveitando que estávamos por perto, fomos experimentar o Parque Aventura da Figueira da Foz.

Fiquem desde já a saber que não é muito fácil chegar ao parque, ou melhor, desde a Figueira são apenas 10 minutos de carro mas a estrada sinuosa pode dar azo a parecer que é muito mais do que isso. Se o GPS não funcionar (possível falta de sinal), só têm de seguir as indicações na estrada para a Serra da Boa Viagem e depois já lá mais perto as próprias placas do Parque Aventura.

Mas ao chegar, garanto que ficam com a sensação de que valeu a pena o caminho, pois o Parque Luso Aventura está num local muito bonito e sossegado, no meio de um pinhal com árvores enormes.

Um conselho: levem casacos, pois de manhã cedo e ao fim do dia parece que o nevoeiro e as temperaturas fresquinhas são recorrentes! E não se esqueçam também de levar água e um pequeno lanche já que por lá não há nada onde comprar estes preciosos mantimentos para os passeios em família.

Até mesmo onde se estaciona pode até dar um belo local para um piquenique já que a sombra é muita e há grandes mesas de madeira disponíveis.

Dentro do Parque Luso Aventura também há mesas de madeira e redes de descanso para a família assistente, que fica em terra, poder observar as manobras dos elementos mais destemidos.

Assim que chegámos recebemos um cumprimento caloroso: “É a primeira vez por aqui? Sejam então muito bem-vindos!” Ao que se seguiu uma explicação do funcionamento das actividades.

Ficámos a saber que há vários percursos (identificados por nomes de cores) de diferentes níveis de dificuldade. A participação em cada um desses percursos é restrito à altura, idade ou em casos excepcionais à destreza física dos participantes.

Perguntei sobre a segurança dos miúdos e se havia seguro enquanto praticavam mas fiquei tranquila com a resposta positiva. E ainda com a breve demonstração de um dos monitores sobre o funcionamento do sistema de segurança que prende as pessoas aos cabos. Também com o preenchimento de uma declaração com os dados pessoais (o seguro está incluído no preço que se paga para realizar as actividades).

Depois, houve um teste num mini-percurso, super baixo e fácil, assim como se de um treino se tratasse, para dar tempo à aprendizagem de todos os procedimentos. Mas a ansiedade para começar “a sério” era tanta, que os miúdos correram para o primeiro percurso assim que conseguiram!

O tempo é depois gerido por cada um. Sempre com a supervisão de um monitor em terra, cada um é autónomo para fazer os percursos mas ficam a saber que se precisarem de ajuda é só chamar, que logo recebem instruções mais detalhadas e personalizadas para cada situação em que se encontram.

Independentemente de quantos percursos vão fazer, todos começam pelo mais fácil e vão avançando e crescendo em dificuldade, percurso a percurso. E durante três horas, podem repetir quantas vezes quiserem.

Agora vos digo, o que mais me impressionou quando cheguei a este parque aventura foi ver crianças tão pequeninas a fazer o primeiro percurso com uma tamanha destreza, que quase senti vergonha dos meus próprios receios!

Perguntei a partir de que idade se pode participar. Responderam-me que a partir dos 4 anos é completamente seguro (e divertido) desde que as crianças “já tenham força para puxar o cabo”.

Deixo um último conselho: preparem a mantinha, é que depois de acabar os percursos os miúdos vão ficar tão cansados, que é sesta na certa!


Parque Aventura – Luso Aventura Serra da Boa Viagem, Figueira da Foz – Portugal