Muito antes dos romanos aqui se estabelecerem, Toulouse foi um entreposto comercial estratégico entre os Pirenéus, o Mediterrâneo e o Atlântico. Foi em tempos a capital do Reino Visigodo e um centro administrativo e político da região da Ocitânia ao longo de vários séculos. Após a Idade de Ouro do comércio do pastel, começou uma era de modernização, da qual datam alguns dos edifícios mais emblemáticos da cidade.

A cidade rosa


O rio Garonne flui através da cidade, dividindo-a em duas partes, com a Cidade Velha e a maioria dos locais de interesse turísticos a emergirem a este, na margem direita do rio. As ruas planas do antigo centro convergem em belas praças, edifícios rosados, igrejas e catedrais. A ampla Praça do Capitólio é o centro geográfico da cidade, com uma enorme cruz de bronze desenhada no pavimento, cafés e restaurantes abrigados sob as arcadas dos edifícios circundantes.

Toulouse
créditos: Jundream | Dreamstime.com

O Capitólio, que dá o nome à praça, destaca-se pela sua fachada imponente de mármore rosa. Abriga no seu interior o Hôtel de Ville - os paços do conselho - assim como o Teatro Nacional, orquestra e ópera. Algumas áreas estão abertas ao público e justificam uma visita, a fim de admirar os tetos pintados e os espaços profusamente decorados.

Caminhando ao longo do antigo Cardo Romano, que continua a ser, até aos dias de hoje, a espinha dorsal da cidade, rasgando-a de norte a sul, chegará à Basílica de Saint-Sernin, o maior edifício românico da Europa.

Esta igreja do século XI é um ponto de paragem obrigatória para todos os que visitam a cidade, bem como entre os peregrinos que percorrem o Caminho de Santiago de Compostela, rumo à Galiza. Construída ao longo de vários séculos, é uma fascinante combinação de estilos e detalhes, com a sua imponente torre que se destaca no panorama da cidade.

Basílica de Saint-Sernin
créditos: Mbonaparte | Dreamstime.com

Rumando em direção às margens frondosas do Garonne, faça um desvio por entre as ruas repletas de cafés e visite o Convento Jacobino, um edifício cuja criação remonta ao período medieval. Inteiramente feito de tijolo com uma torre que se assemelha a um pagode oriental, o exterior austero deste convento dominicano do século XIII contrasta com a leveza incrível do seu interior. Durante a Revolução Francesa foi convertido em quartel, tendo sido posteriormente restaurado e os belos claustros ajardinados, danificados durante a ocupação, estão atualmente abertos a visitação. O convento alberga também as relíquias de São Tomás de Aquino, dominicano reverenciado, a par de várias exposições, que são organizadas no antigo refeitório do convento.

Não muito longe, encontra-se o imperdível Hôtel d'Assézat, um belíssimo palácio renascentista que abriga atualmente a Fundação Bemberg. Este museu privado possui uma coleção permanente de pinturas, trabalhos em bronze e objetos de arte reunidos pelo colecionador de origem argentina, Georges Bemberg. A coleção inclui peças do século XVII ao século XX, destacando-se entre elas grandes obras de arte do Renascimento e da Escola Moderna Francesa.

Pelo rio abaixo


Junto ao rio, o arborizado Quai de la Daurade oferece excelentes vistas sobre o rio Garonne e as suas pontes, com o Bairro Saint-Cyprien no horizonte. Erguendo-se a oeste, na margem oposta do rio, é possível vislumbrar a torre-reservatório Chateau D'Eau e a fachada de tijolo vermelho do Hôtel-Dieu Saint-Jacques, agora integrado no Centro Hospitalar Universitário.

Também na margem oposta, a Prairie des Filtres oferece uma perspetiva especialmente vantajosa sobre o Toulouse, com uma vista excepcional sobre a Cidade Velha e as suas construções ribeirinhas em tons de rosa. Esta delgada faixa verde na beira do Garonne é um dos parques e locais mais populares da cidade, destacando-se como o lugar perfeito para um passeio relaxante ou um piquenique.

Para uma perspectiva diferente, suba a bordo de um barco e navegue pelo Garonne ou ao longo do Canal du Midi. Construído no século XVII, o Canal du Midi liga Toulouse à cidade mediterrânea de Sète. Esta rede de 360 quilómetros de vias navegáveis liga o Atlântico e o Mediterrâneo, permanecendo até aos dias de hoje um dos feitos mais notáveis da engenharia mundial. Classificado como Património Mundial da UNESCO desde 1996, demorou catorze anos a ser concluído e é único em todo o mundo. É uma ótima opção para um cruzeiro, oferecendo uma vista excepcional da cidade e da sua vizinhança.

Garonne
créditos: Yvon52 | Dreamstime.com

Localizado numa ilha do Garonne, no coração da cidade de Toulouse, encontra-se o Estádio Municipal da cidade, construído por ocasião do Campeonato Mundial de Futebol de 1938. Casa da equipa de futebol local, acolhe também jogos de rugby com frequência, tendo recebido já a Copa do Mundo da modalidade em 2007. Com uma capacidade para mais de 30.000 pessoas, é conhecido como “mini-Wembley" devido à sua semelhança com a icónica arena londrina.

Rumo ao futuro


Nos últimos anos, Toulouse assumiu-se como um polo da indústria aeronáutica europeia, albergando o maior centro espacial do continente para pesquisa e desenvolvimento.

Para aqueles que querem saber mais sobre a exploração espacial, a Cité de l'espace é um destino imperdível para adultos e crianças. Localizado na periferia leste de Toulouse, este parque temático é dedicado à conquista do espaço. Com uma área de 3,2 hectares, dispõe de 250 exposições interativas e modelos à escala real, garantindo uma experiência espacial inspirada na realidade. Se tem o sonho de pisar a lua como um verdadeiro astronauta, liderar uma missão espacial ou vivenciar o quotidiano no interior de uma estação espacial Mir, esta é uma oportunidade única.

Toulouse é também o lar da famosa empresa de aviação Airbus, que disponibiliza visitas turísticas às suas instalações, assim como uma visita focada nas políticas ecológicas adotadas pela empresa, e outra ainda que percorre os vários passos de montagem e teste de um Airbus A380 .