Este filme foi o grande vencedor na cerimónia dos Óscares de 1997, tendo sido galardoado com 9 óscares, incluindo o melhor filme e melhor realizador. Uma bela história de amor e drama em tempos de guerra, passada no Egipto, entre o conde László de Almásy (Ralph Fiennes) e Katharine Clifton (Kristin Scott Thomas), é acompanhada por uma banda sonora notável, mas o que ficará para a história do cinema são os cenários onde a história se desenrolou, tendo o filme deslumbrado os espectadores com imagens inesquecíveis de dunas ondulantes, souks cheios de movimento, gargantas e grutas escavadas na rocha, e lagos secos e planos, tudo tendo como pano de fundo a imensidão e fascínio do grande deserto do Sahara.

Mas a verdade é que os encantos do deserto de “O Paciente Inglês” não se devem ao Egipto, mas sim à multifacetada Tunísia e, para quem visita este país, é mais um ponto de interesse poder estar em alguns locais de filmagem. Para quem já viu o filme, pode identificá-los e relembrar-se da magnífica película; quem ainda não viu, pode simplesmente deleitar-se com a paisagem e decidir mais tarde assistir a essa obra-prima da Sétima Arte.

Também para nós, que já tínhamos assistido ao filme aquando da sua estreia, foi um prazer percorrer a Tunísia e ter quase sempre por companheiro “O Paciente Inglês”. Ficam aqui algumas paisagens que levaram Anthony Minghella a render-se aos encantos do deserto e cidades da Tunísia e que ficaram, agora duplamente, na nossa memória.

O Viajar entre Viagens esteve na Tunísia, numa viagem de mochila às costas, explorando o país e partilhou no seu blogue as suas aventuras.