O Japão é um país fascinante. A cultura, a história, as cidades e as paisagens nipónicas põem o país no topo das listas de sonho de qualquer viajante. Visitar o Japão durante a primavera é ter a oportunidade de assistir a toda uma natureza que se manifesta de uma forma delicada e perfeitamente integrada na paisagem. No campo ou nas cidades, em templos ou em parques, a primavera japonesa é um espetáculo magnífico, que faz parte da cultura do país.

São as cerejeiras em flor que começam a anunciar a chegada da estação mais colorida. "Sakura" é como os japoneses chamam ao florescer destas pequenas "pérolas" brancas e cor de rosa. Nativas de muitos países asiáticos, o Japão conta com mais de 200 variedades de cerejeiras. Os japoneses começaram a plantá-las para embelezar castelos, palácios e templos há vários séculos, desde, pelo menos, 794.

Mas não é só uma questão de beleza. A "sakura" tem muito simbolismo. Representa a natureza efémera da vida, onde tudo passa, um traço da cultura nipónica e da religião budista. A flor de cerejeira é vista como um amuleto de sorte e também um símbolo do amor.

Os japoneses gostam tanto deste fenómeno que, nos dias de hoje, há um boletim meteorológico específico para o florescer das cerejeiras. O desabrochar começa da ilha de Okinawa, ainda em fevereiro, e vai avançando para o norte do país com a chegada do tempo mais quente. Para este ano, as cerejeiras em flor atingem o seu auge em Tóquio entre 31 de março e 7 de abril. Em Quioto, o espetáculo está marcado entre 5 e 13 de abril.

São nestes momentos que multidões vão aos parques, santuários e templos para apreciar o fenómeno em todo o seu esplendor. É o chamado "hanami", a tradição japonesa de contemplar a beleza das flores. Famílias e amigos reúnem-se e participam em festivais dedicados ao "hanami", que acontecem um pouco por todo o país nesta época de renovação.

É ou não é uma das primaveras mais belas e únicas do mundo? Se ainda tem dúvidas, veja a galeria de fotos e inspire-se na "sakura".

Veja também: