A Sarah, uma blogger de viagens australiana, que fez comigo a viagem à Índia, já me tinha dito que a ilha de Penang e a cidade de George Town eram uma das suas paixões na Malásia. Via as imagens dela e deliciava-me a sonhar com o dia em que iria percorrer as ruas de George Town, onde ainda existem os edifícios de estilo colonial a poucos metros dos centros comerciais e prédios altos. Uma mistura de estilos arquitetónicos que lhe dá um ambiente entre o cosmopolita e o rústico.

Apesar do seu centro pitoresco, a modernidade não é algo estranho a Penang, estado que tem mais de um milhão e meio de habitantes. A indústria é a sua principal atividade económica mas o turismo tem vindo a crescer ano após ano. Um dos "culpados" desse crescimento é George Town, a capital do estado, onde as fachadas dos prédios, com portadas de madeira, ainda têm as marcas do passado colonialista e onde ainda existem ligações à cultura inglesa.

É certo que, à medida que nos aproximámos do centro de George Town, o casario fica mais definido e percebe-se o porquê de estar classificado como Património Cultural da UNESCO.

A gastronomia malaia já tinha sido provada por mim nas Cameron Highlands mas aqui, na ilha de Penang, há restaurantes para todos os gostos e a "Street Food" está espalhada por todo o centro, com dezenas de barraquinhas. Cada uma tem a sua especialidade e a preços muito simpáticos. Como exemplo: é possível comer por cerca de 2€ nas barraquinhas de rua! E trazer um sumo natural num saquinho e palhinha por menos de 1€. Está tudo pensado para levar a comida consigo ou sentar-se numa mesa junto da estrada.

Para conhecer George Town, nada é melhor do que meter os pés ao caminho. Entre as ruas, vão aparecer templos budistas, mesquitas ou igrejas (mais uma herança dos ingleses) que convivem lado a lado, com os seus diferentes deuses, e em paz.

E, mesmo que seja fácil andar a pé em George Town, leve um mapa. Porquê? Para descobrir mais facilmente as pinturas de Street Art que animam muitas ruas.

George Town, Malásia
créditos: Viaje Comigo

É uma espécie de caça ao tesouro o tentar encontrar as pinturas e a arte urbana de George Town. E, apesar de ter o mapa na mão com a indicação das mesmas, algumas não vai conseguir ver! Algumas estão tapadas com as peças à venda em lojas e outras, até, com máquinas de bebidas frescas. E as mais concorridas terão quase sempre uma fila para a fotografia.

O projeto de Street Art começou em 2012 com a iniciativa Mirrors George Town by George Town e chama, cada vez mais, turistas a esta área da cidade. Curioso também é ver como a zona se adaptou e há muitas lojas e restaurantes tradicionais ao lado de espaços modernos e muito trendy.

Deixe-se levar pelas pinturas da rua (Lebuh) Armenian até chegar à entrada do Chew Jetty, um bairro de gente simples, que vive em casas de madeira sobre estacas, a poucos metros da água. Aqui, é uma boa zona para compras, com bons preços nos artigos tradicionais.

Se houve comparação que pude fazer com esta zona da cidade - principalmente porque fiquei instalada num hostel da Love Lane - foi com a agitada Khao San Road, na Tailândia. As barracas de rua, os bares, a música (sempre americana ou inglesa) e a animação trouxeram muitas lembranças tailandesas. É uma zona de muitos mochileiros mas também é aqui que estão os hotéis mais tradicionais.

Num dos dias, de muita chuva, aproveitámos para visitar três templos. Um deles é considerado um dos maiores do mundo: é o Kek Lok Si, também chamado de Templo da Felicidade Suprema.

Com vários templos dentro de um mesmo complexo, permite passar várias horas em visita - tem a possibilidade de entrar dentro de vários templos - e com vista sobre a cidade. Começou a ser construído em 1891 e é o maior templo budista na Malásia.

George Town, Malásia
créditos: Viaje Comigo

Depois deste templo, foi a vez de visitar o Buda Deitado e o Buda em Pé que ficam mesmo em frente um do outro. São espaços onde se pode compreender um pouco melhor a religião e os seus costumes.

No final do dia, caminhe para a beira-mar, junto do forte Cornwallis. Antes, passe por Little Índia, que é verdadeiramente um pedacinho da Índia em Penang, com diversas lojas e música indiana a ecoar nas ruas.

Apesar de o pôr do sol não ser no oceano, a luz é maravilhosa quando os últimos raios se mostram e refletem na água. Os turistas e os malaios reúnem-se junto do mar, para ver o sol a desaparecer. Imperdível!

Próxima paragem da viagem na Malásia: o paraíso nas ilhas Perhentian.


Brevemente mais dicas desta viagem no Viaje Comigo (www.viajecomigo.com). Entretanto, pode seguir o dia-a-dia da viagem de 2 semanas pela Malásia, no Facebook (www.facebook.com/viajecomigo) e no Instagram (www.instagram.com/viajecomigo).
Viagem organizada pela The Wanderlust (http://www.thewanderlust.pt).