The Ledge, Willis Tower, Chicago

O mais bonito deste chão é... a sensação de não ter chão. O piso destas varandas situadas no 103ª andar da Willis Tower é feito em vidro transparente. O edifício, inaugurado em 1973, tem mais de 500 metros de altura e foi durante muitos anos o maior edifício dos EUA, tendo sido ultrapassado em 2014 pelo World One Trade Center, em Nova Iorque. Alguns visitantes podem hesitar à primeira mas a vista parece compensar.

Estação de Metro de Mayakovskaya, Moscovo

Uma das mais bonitas estações de metro de toda a Rússia foi inaugurada em 1938. O local serviu de abrigo e posto de comando durante a Segunda Guerra Mundial. Chegou a ser também local de preparação dos discursos de Estaline. O próprio pisou este chão, uma composição geométrica situada a 33 metros da superfície feito em granito e mármore. Os painéis decorativos têm motivos da ex-União Soviética.

Calçada portuguesa

O calcetamento das ruas de Lisboa teve início no séc. XV mas a técnica só começou a ser largamente utilizada no séc. XIX. As pedras de formato irregular, em calcário branco ou negro, formam padrões decorativos em espaços públicos como ruas, parques ou jardins. Em 2005 foi removida do centro de cidade do Porto tendo Lisboa seguido o mesmo caminho em 2014, embora não por completo. A arte de calcetar parece estar em vias de extinção mas ainda podemos encontrar este piso um pouco por todo o mundo: Brasil, EUA, Gibraltar, Espanha ou Moçambique.

Catedral de Siena

O chão do edifício gótico do séc. XIII é uma autêntica obra de arte. Entre os sécs. XIV e XVI, dezenas de artistas criaram um autêntico tapete de mosaico em mármore embutido, único em toda a Itália. Os 56 painéis espalhados por toda a catedral representam sibilas, cenas do Antigo Testamento, alegorias. “A Loba de Siena”, na foto, constitui os emblemas das cidades da região e começou a ser criado por volta de 1373.

La Gallleria Grande, Palazzo Venaria, Turim

O chão original criado por Michelangelo Garove já não consta neste sítio desde 1837. O que pode ver agora é uma réplica do original. Antigo quartel até 1978, a Grande Galeria foi convertida em museu em 1978. Atualmente, o espaço é muito requisitado para anúncios de publicidade.

Centro Heydar Aliyev, Baku, Azerbeijão

No edifício criado pelos arquitetos Zaha Hadid não se distingue o chão do teto à primeira vista. A sensação de movimento contínuo representa nas palavras de Hadid, "a relação perfeita e diluída entre os elementos arquitetónicos e o chão que habitam".

Pátio da Grande Mesquita de Alepo, Síria

Surpreendentemente, o pátio da Grande Mesquita de Aleppo ficou intacto após os ataques de 2013 e 2016. Um gigante tapete de pedra com padrões geométricos de onde se erguem um relógio de sol e fontes onde as marcas das balas são bem evidentes.

O Labirinto, Catedral de Chartres, França

Visível na sua plenitude durante o solstício de verão o mosaico em forma de labirinto intrigou visitantes e membros da Igreja por mais de 800 anos. Ainda hoje não se sabe muito bem o que significava a estrutura para o clero medieval, mas a mística do local permanece até hoje.

Casa de Fauno, Pompeia

Datada do séc. II a.c., a Casa de Fauno passou despercebida durante séculos. As cinzas do Vesúvio em 79 d.c. esconderam os mosaicos das paredes e chãos da estrutura durante vários séculos. O mosaico de Alexandre, na foto, descreve uma batalha entre os exércitos de Alexandre O Grande e Dário III da Pérsia. O original está preservado no Museu Arqueológico Nacional de Nápoles.

Veja a nossa galeria de fotos acima.

Veja ainda:

10 dos edifícios mais bonitos do mundo, segundo arquitetos

As cidades com os melhores "skylines"

Em nome da liberdade: monumentos e símbolos pelo mundo