Contam histórias, fazem-nos viajar no tempo e são testemunhos da “Belle Époque”. Esqueça os museus. Guarde uma tarde, ou apenas uma hora, para desfrutar da beleza e do requinte que estes cafés de finais do século XIX e inicio do século XX têm para oferecer.

O café, quer seja expresso ou americano, sai sempre mais caro se comparado com outros estabelecimentos. Vale pela experiência: saborear um café num interior palaciano que outrora foi o ponto de encontro de intelectuais como Fernando Pessoa ou Trotsky.