A primeira dica para quem vai a Amarante pela primeira vez é parar o carro e passear pelo centro histórico. Caminhe pelas ruas antigas, veja o casario típico e a história que a cidade conta, siga assim até ver o rio e a ponte.

Para quem gosta de apreciar a arquitetura antiga, em Amarante, principalmente no centro histórico, encontram-se inúmeros exemplos do românico e ainda muitos edifícios da Idade Média.

Siga o passeio pela ponte de S. Gonçalo (nome do frade dominicano que a terá mandado construir) e aprecie alguns dos pontos mais turísticos da cidade: a Igreja e Convento de São Gonçalo e o Museu Amadeo de Souza-Cardoso.

Ao passear junto do convento, principalmente ao fim de semana, vai reparar nas barracas dos vendedores dos doces de S. Gonçalo que, por terem um aspeto fálico, são sempre motivo de curiosidade e de grandes gargalhadas. O nome dos doces também ajuda... chamam-se popularmente "quilhõezinhos de S. Gonçalo". A tradição manda que, nas festas de S. Gonçalo, em junho, os rapazes ofereçam às raparigas que querem conquistar. Assim era antigamente, mas hoje em dia já não é bem assim.

Mas, segundo a lenda, quem quer arranjar noivo tem de tocar no túmulo de S. Gonçalo, vai daí que se assuma o santo como casamenteiro... mas das mulheres mais velhas.

São Gonçalo de Amarante,

Casamenteiro das velhas.

Porque não casais as novas,

Que mal vos fizeram elas?

O que visitar em Amarante

- Ponte de São Gonçalo

É Monumento Nacional desde 1910. Está sobre o rio Tâmega e conta a história que São Gonçalo terá, em 1250, mandado construir esta travessia. Em 1763, com as cheias, a ponte desmoronou-se e em 1782 foi iniciada a sua reconstrução. Foi aberta de novo ao trânsito em 1790.

Amarante
Ponte de São Gonçalo e vista para o rio Tâmega. créditos: Viaje Comigo

- Convento e Igreja de S. Gonçalo

Mandada construir em 1540, sobressai nela a Varanda dos Reis (onde estão as estátuas de D. João III, D. Sebastião, D. Henrique e D. Filipe I) e o claustro principal de dois andares. A construção foi apoiada pelo rei D. João III e sua mulher, a Rainha D. Catarina. A Igreja e o Convento foram concluídos durante a época de Filipe I, antes de 1600.

No interior pode ver o órgão de tubos e o túmulo de S. Gonçalo (junto ao altar). Está também a imagem de S. Gonçalo que conserva uma tradição: se puxar a corda da cintura pedindo três desejos, eles serão concretizados...

- Mais duas igrejas que pode visitar:

Igreja de S. Pedro e Igreja de S. Domingos

- Museu Amadeo de Souza-Cardoso

Fica em parte do edifício do Convento de S. Gonçalo desde 1947 e expõe obras de artistas e escritores naturais de Amarante como, por exemplo, António Carneiro, Acácio Lino, Teixeira de Pascoaes, Agustina Bessa Luís e, claro, Amadeo de Souza-Cardoso.

O museu reúne sobretudo obras de pintura e escultura de Arte Portuguesa Moderna mas, além da exposição permanente, são organizadas exposições temporárias ou temáticas com arte dos séculos XIX e XX.

Mosteiro de Amarante
Mosteiro de Amarante e pormenor da cidade. créditos: Viaje Comigo

- Solar Magalhães

Hoje em ruínas, foi em tempos a residência de uma abastada família da região. O edifício original data do século XVIII, tendo sido incendiado nas segundas invasões francesas já no século XIX. É tido como um símbolo de resistência perante os invasores.

Passear/Diversões

- Ecopista da Linha do Tâmega: fica entre as estações de Amarante e Chapa, com uma extensão de 9,3 km. Pode fazer caminhadas ou ir de bicicleta.

- Piscinas Municipais de Amarante: estão junto ao rio Tâmega, no Parque Ribeirinho, e funcionam todo o ano. Pertencem à área do Parque Florestal  de Amarante. Informações: 255 420 235

- Campo de Golfe: fica a cerca de 6Km de Amarante. Tem 18 buracos para um par de 68, com 5.030 metros de distância. Morada: Quinta da Deveza, Fregim. Telefone: 255 446 060

- Parque Aquático de Amarante: só está aberto durante os meses mais quentes, de maio a setembro. Com vista para o rio Tâmega este é o verdadeiro parque aquático com diversões: piscinas, escorregas, tubos e pistas múltiplas - para crianças e adultos.

Festividades de Amarante


São várias as festas em Amarante mas destacam-se as que são em honra de S. Gonçalo, celebradas no primeiro fim de semana de junho. Os bombos saem à rua e há animação de manhã à noite durante três dias (começa na sexta-feira).

No sábado à noite tem lugar o fogo de artifício por cima do rio e concertos. No domingo acontece a procissão que termina com o lançamento de cravos da Varanda dos Reis.

Gastronomia


Nesta zona as carnes como a vitela e o cabrito, assados no forno, estão em destaque em quase todas as ementas de restaurantes tradicionais - assim como o bacalhau.

A doçaria de Amarante é imperdível. Prove lá e traga-a consigo. A doçaria conventual, que teve origem no Convento de Santa Clara, é de fazer crescer água na boca com papos d'anjo, lérias, foguetes e brisas do Tâmega. existem várias confeitarias especializadas nos doces, mas há uma, junto à Ponte S. Gonçalo, que me faz gastar uma fortuna em doces de ovos: a Confeitaria da Ponte.

Onde comer e dormir


No centro histórico estão instalados alguns dos melhores restaurantes de Amarante. Sugerimos o Zé da Calçada, que tem um prato de bacalhau muito conhecido e com o nome do espaço. Difícil vai ser escolher. Também exprimentamos o restaurante Lusitana e gostámos muito também.

Se quiser experimentar um dos melhores restaurantes a nível nacional, com uma estrela Michelin, está ao lado da ponte de S. Gonçalo, o Largo do Paço, da Casa da Calçada, com vista para o rio Tâmega. Aliás, a Casa da Calçada é também uma excelente sugestão de sítio para ficar alojado – hotel de 5 estrelas, da Relais & Chateaux.