O que ver:

Saigão e Hanói são visitas obrigatórias.
Saigão é mais expansiva e Hanói mais cool.

Vietname
Saigão créditos: Who Trips

Ambas têm monumentos, arquitetura colonial, um ambiente em mudança e que merece ser vivido.
Nas duas metrópoles também se pode recriar o ambiente durante a guerra com os EUA e a iconografia oficial consegue fazê-lo de forma interessante.
Um dos exemplos é a visita aos túneis, a uma rede complexa de subterrâneos que funcionam hoje para turista ver e glorificar a resistência do Vietname do Norte.
Nas praias da costa leste ouve-se hoje uma versão mais turística da Cavalgada das Valquírias de Richard Wagner.
Há paisagens e ambientes naturais sublimes.
A baía de Halong Bay é um imenso mar verde que serpenteia rochedos gigantes, com grutas e que protegem dos ventos aldeias lacustres.
Cães que vivem numa plataforma de meia dúzia de metros, crianças que vivem com os pais numa casa flutuante, um barco com fruta que se encosta aos dos turistas para fazer negócio...
Neste aspeto, é um modo de vida parecido com o do Delta do Mekong, mas num ambiente completamente diferente.
O rio determina a vida de milhões de pessoas. Os imensos arrozais, vilas lacustres, o vai-vem de embarcações, a pesca artesanal e os sapais com vias fluviais estreitas, rodeadas de silêncio e de flora verdejante intensa.

Vietname
créditos: Who Trips

Chegar e andar:

O modo mais fácil e usual é de avião para Saigão ou Ho Chi Minh.
Há muitas ligações aéreas para estes aeroportos internacionais.
Por ser um país muito procurado por turistas há uma grande oferta de programas.
Em geral, os serviços são de qualidade e confiáveis.
Pode também fazer o seu programa mas conte, à partida, com uma condição: vão-lhe cobrar mais caro por ser estrangeiro.
Para quem vai construindo o programa ao longo da viagem, convém não deixar tudo para o último dia. Por exemplo, a Vietname Airlines costumava ser lenta na resposta para voos domésticos no balcão na zona central de Saigão.
A companhia low cost Jetstar também faz muitos voos no Vietname.
Para distâncias mais longas, o mais adequado é o recurso a avião, mas em algumas ligações há a alternativa de comboio até para viagens turísticas.
Há também companhias de transporte rodoviário que fazem as ligações com mais procura como é o caso de Saigão – Hanói.
Além destes meios, pode ainda escolher outros mais invulgares como navegar no Mekong, até ao delta. Aqui encontra informação mais detalhada sobre como viajar no Vietname.

Vietname
créditos: Who Trips

InfÚteis:

A moeda é o Dong e aqui pode ver o câmbio.
Não é difícil pagar com cartão de crédito e há ATMs em muitos locais urbanos.
O Vietname exige visto. O pedido tem de ser feito com antecedência por via eletrónica. Há várias companhias locais que fazem este processo. Usei esta.
A diferença horária em relação à Europa é significativa. O Vietname é GMT +7. Resista ao sono nos primeiros dias.
Recomenda-se consumo de água engarrafada e não consuma água não embalada ou gelo fora das cidades.
Por uma questão de prevenção é adequado ir a uma Consulta do Viajante
Mais recomendações aqui

As minhas viagens no Vietname:

Vietname
créditos: Who Trips

Como atravessar a rua em Saigão?
Para atravessar a passadeira é preciso alguma coragem inicial, depois passa a diversão.
Primeira regra: vá atrás dos locais. Segunda regra: não hesite, não recue. Sempre em frente, eles desviam-se, como uma corrente de formigas que se vai desviando de objetos móveis.

Vietname
créditos: Who Trips

Vamos casar em Hanói
Hanói tem mais influência chinesa do que Saigão.
É mais fria, distante, mas tem também os seus encantos e, em comum, são exemplos, o divertido desafio nervoso de atravessar nas passadeiras de peões e (aqui muitos mais) casais a prepararem o álbum nupcial.

Halong Bay
créditos: Who Trips

Halong Bay e a gruta das surpresas
É um imenso mar verde com penhascos de calcário, disformes, rochosos, com muitas grutas e a particularidade de fazer fronteira com a China.
Em alguns momentos, junta-se uma névoa que acrescenta encanto e mistério à baía.

Vietname
Grupo de mulheres em barcos tradicionais créditos: Who Trips

No Mekong a comprar caramelos
O Delta do Mekong é uma das áreas mais fascinantes do Sudoeste Asiático.
O rio é o centro de toda a atividade. Por enquanto, traz vitalidade aos arrozais e alimento às populações.
Por outro lado, é no rio que decorre o quotidiano de muitas comunidades.

Veja a galeria de fotos desta viagem ao Vietname