A sua localização e infraestruturas de transportes facilitam o acesso dos turistas a este pequeno Grão-Ducado. Sendo uma das mais pequenas nações do mundo, com uma área de 2.586,4 quilómetros quadrados, é o destino de fim-de-semana perfeito.

Com três línguas oficiais - francês, alemão e luxemburguês - e sendo o inglês amplamente falado pela maioria da população, poderá minimizar o risco de erros de comunicação.

A Cidade do Luxemburgo, no sul do país, é a capital e a porta de entrada deste pequeno estado europeu. Sede de diversas instituições europeias, é uma cidade multicultural.

A sua organização geográfica é algo complexa pois, embora compacta, a cidade está distribuída por diferentes quotas. A Cidade Velha é uma fortificação natural, empoleirada no alto de uma formação rochosa, estendendo-se pelos vales estreitos dos rios Alzette e Pétrusse.

Obras de engenharia


Os vales fundos são atravessados por diversas pontes e viadutos. Alguns oferecem vistas impressionantes sobre a cidade, com especial destaque para um deles. Não é sequer o mais antigo mas tornou-se um símbolo emblemático da Cidade do Luxemburgo e uma das vistas mais frequentemente reproduzidas nos postais.

A construção da Ponte Adolfo, assim batizada em homenagem ao Grão-Duque Adolfo, iniciou-se em 1900, tendo sido concluída três anos depois. Era à data o maior arco de pedra existente.

A ponte foi restaurada diversas vezes ao longo dos anos, encontrando-se, uma vez mais, em renovação, que deverá ser concluída em 2017.

Passagens secretas


Devido à sua excepcional posição estratégica, no topo de um rochedo quase inacessível, a Cidade do Luxemburgo era um local de especial importância militar. Diversos vestígios representativos desse passado são ainda visíveis, apesar do desmantelamento das fortificações.

Um castelo fortificado foi construído em meados do século 10 no promontório de Bock, no extremo nordeste da cidade, sobranceiro ao rio. A fortificação foi posteriormente alargada e reforçada. A sua rede única de casamatas, que tinham originalmente 23 quilómetros de extensão, foi na sua maioria preservada após o desmantelamento da fortaleza.

Estas passagens defensivas subterrâneas, que podiam não apenas alojar milhares de soldados, equipamento e cavalos, mas também cozinhas, padarias, açougues e oficinas, concederam à Cidade do Luxemburgo o epíteto de “Gibraltar do Norte”.

Cidade de conto-de-fadas


A atmosfera de conto-de-fadas que enche a cidade apela a um passeio sem rumo pelas suas ruas pitorescas.

A cidade mantém o plano original das suas ruas e diversos edifícios públicos permanecem de pé. Entre eles, destaca-se o imperdível Palácio Grão-Ducal, a residência oficial do Grão-Duque do Luxemburgo. Quase que cravado entre ruas, é impossível não o ver num qualquer passeio pelo centro da cidade. É um edifício fascinante, que remonta ao século 16, possuindo uma das mais belas fachadas da cidade.

Por sua vez, a Place d’Armes é o coração da capital luxemburguesa. Localizada no centro da Cidade Velha, atrai turistas e locais. Rodeada de inúmeros restaurantes e cafés, a praça ganha vida no verão, quando as esplanadas invadem os passeios, enquanto músicos e outros artistas realizam as suas performances, sob a sombra das frondosas tílias.

Cidade do Luxemburgo
Cidade do Luxemburgo créditos: Pixabay

No inverno, esta praça central recebe o mercado de Natal, com pequenas bancas de produtos tradicionais e artesanato, carrosséis e coros natalícios, dispostos ao redor da árvore de Natal, enquanto o cheiro da iguaria germânica mais apreciada, o vinho quente, enche o ar com o seu aroma doce a especiarias.

Nas proximidades irá encontrar a Praça de Guilherme II, dominada pela fachada do edifício da câmara da cidade, enquanto a estátua do Grão-Duque Guilherme II ocupa o centro da praça. Ao longo do ano, este centro citadino recebe concertos, festivais e mercados semanais ao ar livre, que vendem flores, produtos locais, assim como iguarias regionais.

Da praça é possível avistar os telhados pontiagudos da Catedral de Notre-Damme. As torres dominam a linha do horizonte, destacando-se entre as casas de tom creme da cidade. Alabastro, arabescos e vitrais decoram o interior da igreja, que recebe frequentemente concertos de órgão.

As vistas


Devido à sua localização entre os desfiladeiros, a Cidade do Luxemburgo é extremamente fotogénica. Quer esteja no fundo do vale ou no topo do penhasco, não tem como errar!

A Praça da Constituição oferece vistas maravilhosas sobre o vale verdejante do rio Pétrusse e da Ponte Adolfo, assim como do Museu da Banca, empoleirado na margem oposta do rio. A sua silhueta de castelo, emoldurada pela Ponte Adolfo e pela natureza circundante, fazem desta uma vista imperdível para todos os que visitam a Cidade do Luxemburgo.

Denominada “a varanda mais bela da Europa” (e não em vão) por um escritor local, a Chemin de la Corniche estende-se no limite do penhasco, no extremo da Cidade Velha, oferecendo uma das vistas mais bonitas do burgo. Esta permite uma perspetiva abrangente da cidade localizada no topo do vale e das casas dispostas ao longo do rio, no fundo do vale, no bairro de Grund.

No fundo do vale


No distrito de Grund, ponha o mapa de lado e caminhe sem destino pelas estreitas ruas de paralelo, apreciando a vista das pequenas casas pitorescas que beiram o rio Alzette. Esta zona da cidade localiza-se no vale estreito e fundo do rio, por baixo do centro da cidade, que se empoleira no topo do penhasco.

A torre da Abadia de Neumünster destaca-se entre os telhados das pequenas casas coloridas dispersas ao longo do vale. Também ela localizada defronte ao rio, era uma antiga abadia beneditina, entretanto convertida em centro cultural. Durante a ocupação do Luxemburgo no decorrer da Segunda Guerra Mundial, a abadia serviu de prisão aos membros da resistência Nazi. Simultaneamente, as casamatas eram usadas como abrigos, protegendo milhares de pessoas dos bombardeamentos.

No final, se não se sentir disposto a enfrentar a subida acentuada de regresso à Haute Ville, poderá usar o elevador que se desloca ao longo do penhasco, fazendo a ligação entre o Grund e o centro da Cidade do Luxemburgo.