Vale a pena passar alguns dias em Berlim e seus arredores, conhecendo a cidade e aprendendo a nossa história com ela. Segue-se a primeira parte dos nossos dez lugares históricos obrigatórios a visitar em Berlim.

1. Portas de Brandemburgo


É, provavelmente, o monumento mais conhecido de Berlim. Construídas entre 1789 e 1791, no local de uma das antigas portas da cidade, permitiam o acesso da família real aos jardins, mas foram, durante décadas após a segunda guerra mundial, o símbolo da divisão de Berlim e da Alemanha, inacessível aos habitantes de ambos os lados.

Dividida na conferência de Ialta (1945), no final da II Guerra Mundial, em quatro zonas distintas, Berlim ficou sob administração francesa, britânica, norte-americana e soviética, as potências vencedoras da guerra. Com o agudizar da guerra fria, e a crescente migração de pessoas de Leste para Oeste, o regime comunista da RDA inicia, em 1961, a construção de um muro – o Muro de Berlim – que dividiria a cidade e os seus habitantes durante 28 longos anos.
No entanto, após Ronald Reagan, presidente americano ter dito, em frente às Portas de Brandenburgo, “Mr. Gorbatchev, open this gate. Mr. Gorbatchev, tear down this wall!”, dá-se, em 1989, a queda do Muro de Berlim, e este monumento consagra-se como o símbolo do novo espírito da Alemanha agora reunificada.

2. Ponte de Bösebrücke


Bösebrücke era uma ponte que fazia a ligação entre a RDA e Berlim Ocidental. Utilizada durante a Guerra Fria como um dos 8 postos fronteiriços, foi o primeiro a abrir na noite de 9 Novembro de 1989. Depois de um anúncio na TV, por um dirigente da RDA, que divulgava mudanças para cruzar a fronteira, milhares de pessoas foram-se juntando ao longo da noite e os guardas fronteiriços, pressionados pela multidão, e sem ordens claras, começaram a deixar passar e, em poucas horas, 20 mil berlinenses de leste cruzaram para Berlim Ocidental. Era o princípio do fim do Muro de Berlim. Pode ver-se fotografias da época e a explicação dos acontecimentos na Praça 9 de Novembro.

3. Muro de Berlim


Hoje, mais de 25 anos passados da queda do Muro de Berlim, a cidade mantém preservados alguns fragmentos espalhados pela cidade. Pode visitar o que resta do muro em vários locais da cidade: na famosa East Side Gallery, a maior secção do muro preservada, contando com cerca de 2 km de muro transformados numa galeria de arte ao ar livre, ou na Bernauer strasse, onde ainda existe o muro exterior, muro interior e o espaço intramuros com uma torre de vigia, e onde foram escavados túneis subterrâneos para a população tentar fugir para o oeste, um dos quais foi reconstruído e pode ser visitado. A visita à Bernauer Strasse pode ser englobada na Tour do Muro de Berlim – Berliner Unterwelten.

4. Campo de Concentração de Sachsenhausen


Em Janeiro de 1933, os nazis subiam ao poder e, em poucas semanas, dissolveram o parlamento, ilegalizaram os partidos políticos e começaram a perseguir os oponentes políticos ao regime. Em 1936, Sachsenhausen era inaugurado como um dos primeiros campos de concentração, inicialmente destinado aos oponentes políticos dos nazis, mas a partir de 1938 usado progressivamente como ferramenta das políticas raciais e sociais nazis. Pode hoje visitar-se o Memorial e Museu de Sachsenhausen, exibindo alguns edifícios originais e outros reconstruídos, com exposições relatando a vida quotidiana dos prisioneiros, a prisão e castigos infligidos, as experiências médicas realizadas, e os assassínios em massa. Uma lição de história pungente.

5. Topografia do Terror


A Topografia do Terror é uma exposição sobre a ascensão do III Reich na Alemanha, contextualizando a forma como Hitler chegou ao poder em 1933 e a forma como evoluíram as perseguições aos judeus e a outras minorias políticas e étnicas. A exposição está patente num edifício moderno, construído sobre as fundações do edifício que albergava a Gestapo e as SS. Em frente encontra-se uma secção de cerca de 200 metros do Muro de Berlim muito bem preservado, apresentando sinais dos golpes desferidos pela população na noite de 9 Novembro de 1989.

Veja a segunda parte do artigo aqui.

O Viajar Entre Viagens esteve na Alemanha. Consulte as suas dicas para visitar Berlim.