O que acontece quando bebe álcool?


Depois de beber uma bebida alcoólica, o teor de álcool no sangue leva cerca de 30 a 60 minutos para atingir seu efeito máximo. Simplificando, podemos assumir que consumindo várias bebidas alcoólicas, durante um curto espaço de tempo, pode facilmente significar que o seu corpo tenha que lidar com mais álcool, do que o que consegue processar. Este efeito é ampliado pela alta altitude.

Em tal caso, o excesso de álcool passará através da corrente sanguínea não-metabolizado e inalterado. A taxa de álcool no sangue, (TAS), irá aumentar.

À medida que viaja através da corrente sanguínea, o álcool atinge também o cérebro, onde atua como um sedativo e retarda as transmissões e impulsos entre as células nervosas, que controlam, por exemplo, a sua capacidade de pensar e se mover. Embora o álcool seja um depressor, pode também diminuir a inibição, o que explica o comportamento agressivo, ou demasiado feliz, por vezes associado com o consumo de álcool. Também aumenta o fluxo de fluido através dos seus rins, aumentando a probabilidade de ficar desidratado.

O que acontece quando você bebe álcool a bordo de um avião?


Durante um voo, a pressão barométrica na cabine de um avião é menor do que na maioria dos lugares na terra. Pode comparar com uma altitude de montanha de entre 1.800 e 2.200 metros. Esta diminuição da pressão ambiente, leva a uma rarefação do ar o que diminui o oxigénio disponível. Chamamos a isso hipoxia. De um modo geral, para uma pessoa saudável, não é um problema, mas a sensação poderia ser semelhante à sensação de depois de beber álcool em excesso.

Portanto, se beber bebidas alcoólicas durante o voo pode potenciar o efeito do álcool mais cedo, devido ao baixo nível de oxigênio no sangue, pode parecer estar mais alcoolizado do que o normal, depois de consumir a mesma quantidade de álcool.

Estima-se que uma bebida de alta altitude terá os mesmos efeitos sobre o corpo como três bebidas tomadas ao nível do mar. Na verdade, a sua taxa de alcoolémia será a mesma.

Os sintomas mais prevalentes são cefaleias, tonturas, náuseas, diminuição de apetite e possivelmente vómitos.

Tanto o álcool como a alta altitude pode reduzir os tempos de reação aumentando a probabilidade de um acidente. Outro fator agravante prende-se com o facto de o ar da cabine ser muito seco e, juntamente com o efeito diurético do consumo de álcool, pode levar a uma desidratação mais rápida.

Assim, para combater a desidratação certifique-se que bebe sempre água quando bebe uma bebida alcoólica. Deve também minimizar o consumo de alimentos salgados, pois isso pode ter um efeito adverso fazendo com que fique com mais sede, encorajando-o a beber a um ritmo mais rápido. O ideal seria optar sempre por bebidas não alcoólicas, e beber bastante água!

Bons voos!

Pedro Pinho Caetano é médico pós-graduado em Medicina de Viagem e Aeronáutica

Bibliografia: Lufthansa, OMSKLM BlogUCSMD.SaúdeSkyscanner