Já imaginou ser expulso de um voo? Provavelmente, esta ideia nunca lhe passou pela cabeça, até porque nunca deu motivos para que isso acontecesse. No entanto, por este mundo afora, esta é uma situação frequente e que acaba por ser alvo de notícias nos meios de comunicação social.

O site Travel+Leisure reuniu num artigo algumas dicas e conselhos para que esta situação não aconteça. Mas, caso seja inevitável, o passageiro também deve conhecer os seus direitos.

Para começar, qualquer pessoa pode ser expulsa de um voo, caso não cumpra as regras dos membros da tripulação. Exemplos: recusar a apertar o cinto de segurança, tentar sentar-se noutro lugar que não o seu, incomodar outros passageiros, estar sob efeito de drogas ou álcool, estar doente, demonstrar comportamentos violentos ou tentar cometer atos ilegais durante a viagem.

No que as comissárias de bordo reparam quando os passageiros entram no avião
No que as comissárias de bordo reparam quando os passageiros entram no avião
Ver artigo

Os comissários de bordo estão mais atentos aos passageiros do que se pode imaginar e vão tomar a decisão de expulsar alguém do voo em última análise. Os passageiros mal-comportados serão avisados algumas vezes antes de serem colocados fora do avião - uma situação que pode acontecer antes da descolagem ou numa aterragem de emergência.

Caso a situação extrema aconteça, existem dois cenários. Se o passageiro estava a cometer algo ilegal, então pode ser preso. Por outro lado, se o passageiro foi expulso por outros motivos, poderá ser recolocado noutro voo, sem ter de comprar outro bilhete.

Outro caso que pode levar a expulsão de um passageiro do voo é a situação de "overbooking", que voltou estar na ribalta depois de um passageiro ter sido retirado de forma violenta de um avião nos Estados Unidos.

O "overbooking" acontece quando as companhias aéreas vendem mais bilhetes do que os lugares que existem no avião. Quando esta situação acontece, alguns passageiros são "convidados" a sair do avião. Os passageiros que decidam abandonar aquele voo, são depois recolocados noutro voo e indemnizados pelas companhias aéreas.

Em todos os casos, ter de abandonar o avião não deve ser uma experiência agradável e, por isso mesmo, mais vale esforçar-se para ser sempre sempre um passageiro exemplar.

Veja ainda: Passageiros sem-vergonha que estragam qualquer viagem